• Marcos Oliveira

O Simulacre de Potyguara Bardo


A viagem dançante e holística de Potyguara Bardo

Vivendo o vazio e o infinito de possibilidades, Potyguara Bardo é uma cantriz de Natal-RN, responsável por uma sonoridade delirante pop, aplicando bastante da performance à sua música, construindo uma atmosfera dançante, divertida, com forte espirituosidade queer.


Mesclando elementos da house music, do reggae, da lambada e utilizando vários samples, que ampliam o caráter cênico/conceitual/debochado de seu trabalho, em 2018, lançou o caprichado e potente álbum Simulacre.


Gravado no Estúdio DoSol, por Yves Fernandes, dentro do projeto Incubadora DoSol, o disco de estreia de Potyguara Bardo conta com a produção musical de Walter Nazário e Mateus Tinoco; mixagem de Walter Nazário e Mateus Tinoco; design gráfico de Marcone Soares; cordas de Walter Nazário e Dante Augusto; percussões de Yves Fernandes; vozes de Dante Augusto, Viktor Mendes, Tiago Landeira, Ianne Maria e Helouize Dias; e direção artística de Anderson Foca.


Disponível no youtube e nas plataformas Spotify e Deezer o álbum de estreia de Potyguara Bardo aparentemente não se leva tão a sério, mas tem conceitos muito bem amarrados e uma estética bem definida, conseguindo militar sem pesar o rolê e fantasiar sem ser uma grande piada interna.

Como a própria cantora afirmou para a Tenho mais Discos que Amigos, neste trabalho ela buscou algo imagético, não necessariamente sonoro, de sua infância, a fim de construir uma obra autobiográfica, encaixada numa forma da jornada do herói - mas pop, né?


E se tudo for uma simulação?

Sandália e Meia sem Meias Palavras


01 - Simulacre (Cuisine des rêves): eu não falo francês, não!

02 - Karamba: descendo o meu feed, como a juventude, e em sugestão vejo você

03 - Mamma Mia: Eureka! Nasci pra apoiar seu popozão

04 - Oásis: se sonhei ou se eu tô sonhando, eu não sei só sei que tô gostando

05 - Lambada do Flop: taca a porta na cara alheia, depois vai na janela rir

06 - A expedição: e a dor que dói aqui, mermo que eu cegue não sinto jamais

07 - Jogo da Vida: tá doendo, mas já vai passar, já passei por aqui

08 - Plene: vi meu reflexo se desintegrar, virando uma serpente segurando uma fruta

09 - Você não existe: tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação


Potyguara Bardo


Persona drag queen de José Aquilino, também ator e compositor, a artista sempre teve muito contato com sua energia feminina, mesmo que inconscientemente. Seu nome artístico, Potyguara Bardo vem em parte do livro A Experiência Psicodélica, de Timothy Leary, baseado no O Livro Tibetano dos Mortos, usado em rituais fúnebres do budismo no Tibete.


O termo “bardo” corresponde a estágios da experiência psicodélica e, aos olhos da artista, o primeiro estágio se parecia com uma experiência psicodélica anterior passada por ela. Potyguara, por sua vez, está relacionado a algo mais claro, seu estado natal, o Rio Grande do Norte, e o nome vem dos indígenas que no séc. XVI habitavam trechos do litoral nordestino.






Já faz algum tempo, você pensou assim: Tanta gente no mundo e ninguém sente igual a mim Tombou na realidade e a verdade encontrou Sua humanindade tava em todos só você que não notou Foi só você que não notou


Problemas se dissolvem no mar do infinito Ao se beber da água desse rio colorido Lidando com o passado viro luz no espaço escuro Projeto os caminhos que se abrem pro futuro


(Ah) que se abrem pro futuro


Você não existe E eu também não Tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação A realidade surge na nossa ligação Suas ideias emanam a luz de toda a criação


Todo movimento surge no inconsciente Se engana o que acredita controlar a própria mente Guiado a cada passo à um destino bem maior Seu eu superior lhe acompanha, você nunca anda só Eu e você somos um só


Problemas se dissolvem no mar do infino Ao se beber da água desse rio colorido Lidando com o passado viro luz no espaço escuro Projeto os caminhos que se abrem pro futuro Abrace a minha voz e faça dela sua As falas que eu canto são tão minhas quanto são da lua Abrace a sua voz, repita a cada porto O amor que você sente é o mesmo que o amor do outro


(Ah) é o mesmo que o do outro


Você não existe (You don't existe) E eu também não (Even than me) Tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação (All in this life is in your imagination) A realidade (Reality) Surge na nossa ligação (Come true in intelection) Suas ideias emanam a luz de toda a criação (Your ideas emanate the light of all creation)


Você não existe (Você não existe) E eu também não (E eu também não) Tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação (Tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação) A realidade (A realidade) Surge na nossa interação (Surge na nossa interação) Suas ideias emanam a luz de toda a criação (Suas ideias emanam a luz de toda a criação) Você não existe (Você não existe) E eu também não (Mas eu também não) Tudo que tem nessa vida é fruto da imaginação (Tudo nessa vida é fruto da sua cabeça) A realidade surge na nossa ligação Nada é matéria cê bem poderia ta numa simulação (Você ta numa simulação)


16 visualizações

©2020 por Olivêra - um designer brasileiro nato